Prevenção

Câncer da mama e próstata - Saiba como se prevenir

Câncer da mama

Os fatores de risco não causam a doença, mas aumentam as chances de desenvolvê-la. Entre os principais deles estão:

- história familiar e pessoal da doença;
- mulheres que já tiveram câncer de útero (endométrio) ou ovário;
- doenças benignas da mama, como a hiperplasia epitelial;
- mulheres que nunca ficaram grávidas ou que tiveram gestações tardias;
- início precoce e término tardio de menstruação;
- obesidade, consumo excessivo de gordura animal e uso de hormônios.

Os sintomas do câncer de mama são localizados e evidentes, mas como não causam dor, passam despercebidos por grande parte das mulheres. O diagnóstico em fase inicial da doença aumenta as chances de cura em até 90%. A partir dos 20 anos, faça o auto-exame uma vez por mês, de 7 a 10 dias após o início da menstruação. Mulheres que estão amamentando ou na menopausa devem se examinar com a mesma freqüência, sempre no mesmo dia do mês. Na amamentação, lembre-se de se examinar com o seio vazio.

Se no auto-exame você notar alterações no formato das mamas, como abaulamento ou retrações; feridas ao redor do mamilo; mudança de cor ou espessura de pele, da aréola ou do mamilo; caroços, massa, endurecimento das mamas ou axilas e saída de secreções pelos mamilos (sangue, pus ou leite), procure imediatamente um especialista.

Além do auto-exame, é importante fazer o exame clínico, realizado pelo ginecologista. A mamografia, considerada o melhor método para detectar o câncer de mama, segundo recomendação do INCA, deverá ser realizada anualmente a partir dos 40 anos.


Câncer da próstata

O câncer da próstata é uma doença que provoca o crescimento anormal e incontrolado das células da próstata, glândula responsável pela produção de parte do sêmen, localizada abaixo da bexiga dos homens. Se diagnosticado em fase inicial, este câncer é curável, mas se o diagnóstico for tardio, pode se espalhar para outras partes do corpo (metástases), tornando-se incurável. A maioria dos pacientes não apresenta sintomas precocemente. Mas deve-se estar atento aos seguintes sinais:

- diminuição do fluxo urinário (esforço para urinar);
- sensação de esvaziamento incompleto da bexiga após a micção;
- necessidade urgente e freqüente de urinar (especialmente à noite);
- sangue na urina (hematúria);
- nódulos inchados na área da virilha;
- dificuldade de ter ereção e dor ao urinar, dor pélvica, na coluna, quadris e costelas.

A partir dos 40 anos, os homens devem pesquisar anualmente a quantidade de PSA (antígeno prostático específico), presente no sangue e que é produzido pela próstata. Valores aumentados podem ser indicativos de doenças benignas ou malignas deste órgão. O ultra-som (pélvico ou transretal) pode detectar tumores pequenos ou localizados em áreas não alcançadas pelo toque retal. O urologista deve realizar o toque retal no paciente, a procura de irregularidades ou anormalidades na região, uma vez por ano.