Avanços Tecnológicos

BD – Exame Papanicolaou em Meio Líquido

Se os avanços da medicina ainda não produziram um coquetel mágico capaz de vencer todos os tipos de câncer, a verdade é que ela hoje é capaz de detectar cada vez mais precocemente o início de suas manifestações no corpo humano.

Depois do câncer de mama, o segundo mais comum entre as mulheres é o câncer do colo do útero, que se desenvolve a partir de alterações nas células do órgão localizado no fundo da vagina. Alterações que atravessam diversas fases antes de se transformar em câncer de fato.

De acordo com o Sistema Bethesda 2001 utilizado pelo Instituto Nacional de Câncer dos Estados Unidos de Norte América, tais lesões precursoras ou pré-neoplásicas foram classificadas em citopatologia como “lesão intra-epitelial escamosa de baixo grau” (L-SIL na acepção inglesa), “lesão intra-epitelial escamosa de alto grau” (H-SIL) e “adenocarcinoma in situ endocervical”.

Ao lado dessas definições, foi também reconhecido que determinadas alterações do colo uterino exibem células diferentes das normais, reativas ou inflamatórias e não se enquadram claramente em nenhuma das três classificações estabelecidas pelo Sistema. Tais lesões inconclusivas para malignidade foram chamadas de “células escamosas atípicas de significado indeterminado” (ASC-US), “células escamosas atípicas - não se pode excluir lesão intra-epitelial escamosa de alto grau” (ASC-H) e “células glandulares atípicas” (AGC).

Devido a sua capacidade de regressão e as suas características inconclusivas, essas lesões e a L-SIL são denominadas genericamente como “anômalas”. Já o H-SIL e o adenocarcinoma in situ endocervical são consideradas “positivas”.

Durante mais de 50 anos, o estudo citopatológico do material colhido do colo uterino – o PAP Teste – contribuiu significativamente para a detecção precoce das lesões precursoras do câncer de colo uterino. Isso, graças aos trabalhos pioneiros do Dr. Papanicolaou, realizados em 1928 e definitivamente consolidados em 1954, na publicação do Atlas de Citologia Exfoliativa pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Contudo, apesar de todos os êxitos que conquistou ao longo de sua utilização na segunda metade do século XX, o PAP Teste conheceu também a sua capacidade de regressão inúmeros fracassos. Sua baixa sensibilidade, que é a capacidade de um teste de identificar corretamente os portadores da doença, foi responsável por uma alta taxa de falsos negativos. Como o PAP Teste exibe uma sensibilidade de 51%, isso significa que só consegue identificar metade dos portadores da doença; os outros 49% estão entre os falsos negativos, em que a doença não é identificada.

Buscando reduzir sensivelmente essa margem de erro, desde o início da década de 1990 se está à procura de uma técnica alternativa e eficiente de detecção precoce das lesões de colo uterino. É quando surge a citologia em meio líquido, já definida como o método mais adequado para substituir com êxito e com maior sensibilidade o PAP Teste tradicional. Isto porque, além do método produzir um esfregaço de qualidade superior, todo o material colhido é aproveitado. A sensibilidade alcançada é superior aos 85%.

Está comprovado: os métodos automatizados da citologia em meio líquido são o que possuem o melhor desempenho. Eis porque O Aleph vem desde 2008 trabalhando com o SurePath da empresa Becton, Dickinson and Company, conhecida como “BD”.

Por que esta mudança? Por várias razões.

Primeiro, porque o SurePath está totalmente automatizado em todas as fases do processo, desde a retirada do material do frasco – não há necessidade de abrir a tampa - até a coloração final dos analitos.

Segundo, porque utiliza uma escova especialmente desenhada para realizar a colheita de uma única vez, sem precisar utilizar a espátula de Ayre.

Terceiro, porque simplifica as atividades do ginecologista: tudo o que ele tem que fazer é destacar a escova e colocá-la no frasco do fixador de citologia.

Quarto, porque a cadeia do fornecimento do material de consumo e de manutenção dos equipamentos é altamente superior.

Cabe lembrar que o uso da citopatologia em meio líquido, associada a um sistema de detecção gênica do vírus do papiloma humano (usamos o sistema Captura Híbrida 2 da Digine/Qiagem), é considerado atualmente o método de excelência para a prevenção do câncer invasor do colo uterino. Por isso O Aleph espera que o PAP Teste tradicional seja substituído pelo SurePath no mais curto prazo de tempo possível. Na medicina, prevenir é o melhor remédio. Na luta contra o câncer, o diagnóstico precoce continua sendo uma das armas mais eficazes.